quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Italiana nega doação de medula para a própria irmã


Fiquei sabendo hoje de um caso que me deixou estarrecida.

Paula F. é uma médica anestesista italiana que há 30 anos vive na Nova Zelândia. Infelizmente, a saúde de Paula está fragilizada devido a uma leucemia.

Sua salvação está num transplante de medula óssea.

Sua irmã, que reside na Itália, fez o teste de compatibilidade. Para felicidade de Paula, o resultado deu 100% compatível.

Problema resolvido?

Pelo contrário!

L., sua irmã, negou-se a doar sua medula. Por medo dos riscos (com 59 anos, diz ter receio do transplante devido à idade, o que os médicos descartam, pois não existe problema nesse sentido).

É de se acreditar que no século XXI, com todo o avanço da ciência, algum ser humano pode deixar-se levar por um risco mínimo e não se dispor a salvar a vida da própria irmã?

Ignorância tem limite!

A que ponto chega o egoísmo!

Hoje, Paula ia voltar ao hospital porque a doença voltou a avançar. Se tudo der certo com a quimioterapia, em dezembro ela poderá voltar a pensar em transplante.

Por milagre, parece que um senhor da Alemanha é compatível e se dispôs a doar. Isso se tudo ocorrer bem com a quimioterapia de Paula.

Essa história se estende desde junho, quando Paula estava bem para receber a doação.

Eu sou doadora de medula e aproveito para dizer que para se tornar um, basta andar a um órgão competente. Não dói nada, é como fazer um exame de sangue.

Eu não hesitaria em doar para um desconhecido, quem dirá para alguém da família!

Espero que L. repense sua decisão, antes que seja tarde demais para se arrepender.

Mais informações aqui.

Foto: Blitz Quotidiano

5 comentários:

  1. Olá, blogueiro (a),
    Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.
    Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.
    Acesse www.doevida.com.br e saiba mais.
    Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde
    Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude

    ResponderExcluir
  2. A notícia não chegou a causar grande repercussão na Itália. Pessoalmente achei a desculpa da irmã muito esfarrapada.

    ResponderExcluir
  3. É verdade, Allan! Também achei estranho que não houve tanta repercussão.

    ResponderExcluir
  4. menina, que história horrível esta das irmãs, poxa vida, eu tb me disponho a ajudar sempre e não importa quem, e penso que ser egoísta a esse ponto credencia a falta de amor com que as pessoas cada vez estão mais envolvidas. resultado? essa sociedade individualista que a gente tem....

    ResponderExcluir